Duality

World’s First Artistic Divisory.

Primeira Divisória artistica já vista no Mundo.

Eu queria produzir algo mais livre, não digo apenas no conceito de liberdade, mas na obra em si.

E o que seria, a meu ver, a expressão máxima de liberdade para um trabalho artístico, o produto de uma imagem pintada? Ora, em 99% das vezes uma pintura está condicionada a uma moldura, fixa em uma parede. Estava na hora de transcender esse tipo de fronteira. Fui buscando com isso algumas soluções que mesclassem o que sei fazer, que é pintar, com a função última do design e a estética da escultura. Algo que precisava existir fora das paredes. Veja, não fazia sentido: minhas obras, mesmo com “asas”, símbolo de liberdade universal, estavam presas ao concreto. Penduradas, uma negação do voo. Foi então que procurei algo que fosse independente, que estivesse além das paredes. Pensei: Por que não criar as próprias paredes? Dar vida a elas, mais sentido, significado, emoção, expressão. Por que não desenhar e projetar a parede no lugar de colocar minhas obras nela ou simplesmente pintar sobre ela?

Não queria mais que minha obra estivesse condicionada a um ambiente. Queria que ela fosse o ambiente, que tivesse a união da pintura, do design e da escultura.

Minhas paredes representam algo, expressam algo, falam algo, buscam conversar com as pessoas, fazê-las pensar.

Encontrei a solução com a @dutidesign , que me deram a flexibilidade e liberdade criativa com a matéria e seus recursos, para eu poder transformar esse projeto, que na verdade nasceu bem antes deu pintar telas, em algo real.

“I wanted to produce something freer, not just in concept but in the product itself. Something that didn’t need to be on a wall. ”

I was looking for a sense of freedom, not in the search for a concept or in the painted image itself, but that my product was something freer, which was not nearly 99% conditioned on being on a wall, I was looking for some solutions that blend what I can do, which is painting, with the function of sculpture design and aesthetics. Something outside the walls bothered me a lot, my works even with “wings” attached to a concrete, I looked for something that was independent, that was beyond the walls, so I thought: Why not create the walls themselves? Bring them to life, more meaning, meaning, emotion, expression. Why not draw and project the wall instead of putting my works on it or simply painting on it.
I no longer wanted my work to be conditioned to an environment, but rather to the environment and to the union of painting, design and sculpture.
My walls represent something, express something, say something, seek to talk to people, make them think.

“我想生產出更自由的產品,不僅在概念上,而且在產品本身上。不需要在牆上的東西。 ”

我一直在尋找一種自由的感覺,而不是在尋找概念或繪畫的圖像本身,而是在尋找我的產品更自由的東西,這並不是將近99%的條件放在牆上,我在尋找一些解決方案將我能做的繪畫(繪畫)與雕塑設計和美學功能融為一體。牆外的東西讓我很困擾,即使在“翼”固定在混凝土上的情況下,我的作品也是如此,我尋找的是獨立於牆之外的東西,所以我想:為什麼不自己創造牆呢?使它們栩栩如生,更多的意義,含義,情感,表達。為什麼不畫和投射牆,而不是將我的作品放在上面或只是在上面繪畫。
我不再希望我的作品適應環境,而是適應環境以及繪畫,設計和雕塑的結合。
我的牆代表著某種東西,表達了一些東西,說出了一些東西,試圖與人們交談,使他們思考。